Google+ Seguidores

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Copa do Mundo 2014 - na hora do chute a bola faz diferença?

Craque que é craque joga bem de qualquer jeito, certo?

Lêdo engano. No futebol a bola pode decidir o jogo para o time que estiver com "mais sorte" naquele dia; a prova mais recente disto é a bola Jabulani da Copa do Mundo de 2010 na África do Sul, onde a própria África do Sul, a Alemanha, a Espanha, a França e a Itália - só para citar alguns - foram vítimas da "zebra". Outro dado que vale lembrar é o fato de esta Copa contar com uma "insignificante" média de gols por jogada: a menor média da história das Copas.

A bola mudou muito desde o primeiro mundial. A cada temporada ela passa por adaptações que, garantem os entendidos, prometem melhorar sua atuação no campo durante os jogos - em todas as Copas nós ouvimos a afirmação de que AGORA NÃO TEM COMO MELHORAR...

Será?

A Jabulani, só pra lembrar, foi um graaaaaaande erro.

Bem, polêmicas à parte, selecionei aqui algumas curiosidades sobre esta personagem e sua evolução nestes 84 anos de mundial.

PRIMEIRA COPA DO MUNDO - 1930 (Uruguai): Bolas "T" e "Tiendo"

De couro, com 12 gomos e uma ridícula abertura ("lacrada" por um cadarço) onde ficava o bico para ser enchida.

Copa de 1934 (Itália): Bola "Federale 102"
Basicamente a mesma: de couro, com 12 gomos e aquela abertura "sexy".

Copa de 1938 (França): Bola "Allen"
Como manda a tradição, mesmo modelo de bola, porém de coloração mais escura... só.

...

Copa de 1950 (Brasil): Bola "Super Duplo T"
Finalmente uma inovação - e só poderia ser em uma Copa sediada pelo país do futebol: primeira bola das copas com uma câmara inflada e com válvula para enchimento.

Copa de 1954 (Suíça): Bola "Swiss WC Match Ball"
Agora, ao invés dos antigos 12 gomos, temos 18. Esta bola inaugurou também a era das bolas com dimensões padronizadas pela FIFA.

Copa de 1958 (Suécia): Bola "Top Star"
Repetiram-se os 18 gomos mas passou a contar com uma costura em zigue-zague.

Copa de 1962 (Chile): Bola "Mr. Crack"
Esta foi a bola oficial, mas por ser considerada inapropriada - encharcava com a chuva e descascava com o sol - várias foram substituídas por bolas européias em algumas partidas.

Copa de 1966 (Inglaterra): Bola "Challenge 4-Star"
Com 24 gomos, tinha paineis alongados como as bolas de vôlei.

Copa de 1970 (México): Bola "Telstar"
Grandes inovações: inaugura-se a parceria da FIFA com a ADIDAS e a bola passa a ter 32 gomos (12 pentágonos pretos e 20 hexágonos brancos). A partir desta data as bolas passam a ser fabricadas também em preto e branco porque os jogos começam a ser transmitidos pela TV e desta forma elas são mais facilmente visualizadas pelos telespectadores - lembrem-se que não existem tevês coloridas ainda... Mais uma curiosidade: a bola leva o mesmo nome do satélite que transmite os jogos.

Copa de 1974 (Alemanha): Bola "Telstar Durlast"
Nada de novo no frond: bola idêntica à da Copa anterior.

Copa de 1978 (Argentina): Bola "Tango" ... Ha, ha, ha!
Os mesmos 32 gomos - mas todos brancos - e um desenho em preto cujo padrão formava 12 círculos iguais.

Copa de 1982 (Espanha): Bola "Tango España"
Mesmo desenho da antecessora, mas revestida de poliuretano e borracha, o que a tornava resistente à água. Esta foi a última genuinamente em couro.

Copa de 1986 (México): Bola "Azteca"
Feita com desenho parecido, foi a primeira a homenagear o país anfitrião no design e era inteiramente sintética.

Copa de 1990 (Itália): Bola "Etrusco Unico"
Mesmo design mas com uma camada interna de espuma de poliuretano para ficar mais leve e resistente e uma de neoprene para ser impermeável. o desenho ficou mais complexo, contando com três leões etruscos decorando os vinte triângulos típicos da Tango.

Copa de 1994 (Estados Unidos): Bola "Questra"
Sem novidades. O seu nome vem de the quest for the stars, "a busca às estrelas". Ela era ligeiramente mais rápida em chutes de média e longa distância.

Copa de 1998 (França): Bola "Tricolore"
Primeira bola multicolorida da história das Copas - agora pode. O desenho é o mesmo, mas as cores imitam a bandeira do país anfitrião e o símbolo da França (o galo) a vem estilizado nos triângulos - se não dissessem eu não os veria.

Copa de 2002 (Coréia de Sul e Japão): Bola "Fevernova"
Tinha um design predominantemente branco com um triângulo dourado, vermelho e cinza que se assemelhava a uma shuriken, arma de arremesso ninja em forma de estrela.

Copa de 2006 (Alemanha): Bola "Teamgeist"
Composta de 14 painéis curvos soldados termicamente, foi a primeira e única a ser personalizada com informações do jogo em que foi utilizada - em sua superfície era imprimida a data e o nome dos times que disputariam o jogo e o nome do estádio. Esta imagem é a da bola da final - a única na cor dourada: "É OURO!".

Copa de 2010 (África do Sul): Bola "Jabulani"
É formada por oito painéis termossoldados e dispostos de maneira esférica. Sua estampa é um motivo decorativo de onze cores - que representam os 11 jogadores e as 11 línguas faladas no país. Possui a Tecnologia grip "Groove N", feita pela ADIDAS para permitir maior precisão no disparo e no controle de bola. Ha, ha, ha!... Assim como na final do Mundial de 2006, foi usada uma versão especial, chamada Jo'bulani, cujo nome é derivado da junção de Jabulani e Jo'burg, forma abreviada com a qual é chamada a cidade de Johannesburgo, também conhecida como “a cidade do ouro” (não por acaso, a Jo'bulani é dourada, ao contrário da Jabulani).

Copa de 2014 (Brasil): Bola "Brazuca"
É a primeira bola da história a ter apenas seis gomos idênticos em forma de hélice (fundidos termicamente) com uma simetria única, proporcionando melhor aderência, toque, estabilidade e aerodinâmica no gramado.. As cores simbolizam as tradicionais fitas do Senhor do Bonfim, na Bahia, utilizadas pelos brasileiros quando querem que um desejo se realize.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails